quarta-feira, 29 de julho de 2009

why..

am driving up 85 in the
Kindof morning that lasts all afternoon
Just stuck inside the gloom
4 more exits to my apartment but
I am tempted to keep the car in drive
And leave it all behind

Cause I wonder sometimes
About the income
Of a still verdictless life

Am I living it right?
Am I living it right?
Am I living it right?
Why Georgia, why?

I rent a room and I fill the spaces with
Wood in places to make it feel like home
But all I feel's alone
It might be a quarter life crisis
Or just the stirring in my soul

Either way I wonder sometimes
About the outcome
Of a still verdictless life

Am I living it right?
Am I living it right?
Am I living it right?
Why Georgia, why?

So what, so I've got a smile on
But it's hiding the quiet superstitions in my head
Don't believe me
When I say I've got it down

Everybody is just a stranger but
That's the danger in going my own way
I guess it's the price I have to pay
still "everything happens for a reason"
Is no reason not to ask myself

If I am living it right
Am I living it right?
Am I living it right?
Why Georgia, why?....

segunda-feira, 13 de julho de 2009

onde estará...

Ooh, stop.

With your feet on the air and your head on the ground,
Try this trick and spin it, (yeah) yeah,
Your head will collapse but there's nothing in it,
And you'll ask yourself:
“Where is my mind?

Way out in the water,
See it swimming?

I was swimming in the Caribbean,
Animals were hiding behind the rocks,
Except the little fish,
But they told me this is where it's gonna talk to me to me to me:
“Where is my mind?

Way out in the water,
See it swimming?

With your feet on the air and your head on the ground,
Try this trick and spin it, yeah,
Your head will collapse but there's nothing in it,
And you'll ask yourself:
“Where is my mind?”

Way out in the water,
See it swimming?

domingo, 24 de maio de 2009

closed

“Querida concha:
No mar existem muitas conchas.
Umas bonitas e boas,
outras más e feias.
Procurei as conchas boas,
Mas não as encontrei.
Estavam riscadas ou partidas. Cortavam.
Até que, um dia, a maré trouxe até mim uma concha.
Colorida e transparente.
Essa concha abriu-se… e eu…
sentei-me lá dentro… para sempre.”

domingo, 1 de fevereiro de 2009

if

If tears could build a starway
and memories were a lane,
I would walk right to heaven
to bring you home again.
No farewell words were spoken
no time to say goodbye.
My heart still aches in sadness
and secret tears still flow.
What it means lose you
no one will ever know.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

pois

Queria estar contigo , mas não posso
Queria te beijar loucamente, mas não posso
Queria estar em todos os lugares que tu estas ,mas não posso
Queria te amar ,te abraçar ,ficar contigo, mas não posso
Queria ficar contigo o tempo todo ,mas não posso
Tu estas na minha mente , no meu corpo e no meu coração
Eu não consigo te tirar do meu pensamento,
todo lugar que olho tu estas ,todo instante penso em ti
queria sim, ficar contigo, mas não posso
não posso ser teu amante...apenas posso ser o teu amor..

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

a rebentar..

hoje é um daqueles dias que tudo finalmente pareçia começar a correr bem...mas afinal estava enganado mais uma vez.
complicaçoes ou será que nos é que complicamos já não sei de nada.. objectivos? acho que todos os temos, mas que mudam de um dia para o outro? de herói passa-se para vilão, de cortejado para desprezado.
já não sei o que quero, nem o que fazer, é uma confusão de sentimentos, em poucos segundos sinto vontade de amar, de odiar, mas que raio porque não me consigo focar apenas num e lutar por ele?
será que já não vale a pena?
...daqueles dias em que se não falo arrebento, mas vou falar com quem? será que alguém me escuta? resta-me apenas "falar", escrever para que um dia alguém me recorde e reveja algo do que vai na minha alma. Pena que hoje não tenho palavras bonitas para escrever, apenas sinto uma vontade de acabar com tudo, de deixar de pensar de delirar de magoar de ser magoado. Magoar em complicado e ser magoado também, mas o que mais custa é o tentar ajudar alguém, tentar compreender e receber em troca algo como estas a magoar-me, assim não ajudas... mas que raio!!!
Que raio de pessoa me ando a transformar! eu não sou assim nem nunca fui, alguém que me desligue da corrente assim não dá mesmo...

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

domingo, 28 de dezembro de 2008

sem sono

Nunca tiveram a sensação que por vezes tudo nos passa ao lado? estar num local, onde tudo o que acontece, não nos provoca qualquer tipo de reacção!! hoje em dia sinto cada vez mais isso,normalmente uma "acção" provoca uma "reacção",no meu caso o meu pensamento anda sempre a divagar, por mais agradável que a conversa esteja, por melhor que seja a companhia, nada de nada.... Mundo estranho este que habita os meus pensamentos, que modifica a minha realidade. Revolta é o que sinto, saudades são o que me arruína. cada vez mais tenho a certeza que este local a que chama mos terra, habitado por seres, a que chamamos humanos é um mundo estranho, onde as pessoas se magoam onde as pessoas só pensam no seu umbigo, onde as pessoas que se amam sofrem separadas... mas afinal o que é isto, para que tanto stress quando no fim tudo acaba sempre da mesma forma?!
Gostava de deixar de divagar, que alguem me acorda-se deste pesadelo e me mostra-se a direcçao para um novo dia.
Agora que percebo que me posso ter enganado,
Tenho de achar alguma terapia, este tratamento é muito prolongado
No fundo do coração do lugar onde a simpatia reinava
Tenho de encontrar meu destino, antes que seja tarde demais.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Almas Mortas

Almas Mortas

Alguém afaste estes sonhos
e me direccione para outro dia
um duelo de personalidades
estas estranhas, antigas, verdadeiras realidades
e continuam a me chamar
eles continuam a me chamar
continuam a me chamar
eles continuam a me chamar

Quando vultos do passado assomam
e vozes assombradas ressoam no corredor
templo imperialista
conquistadores que pegaram sua parte
e continuam a me chamar
eles continuam a me chamar
continuam a me chamar
eles continuam a me chamar

sábado, 20 de dezembro de 2008


Esta é a crise que eu sabia que viria,
Destruindo o equilíbrio que eu mantinha.
Duvidando e perturbando e invertendo a direcção,
Imaginando o que virá depois.
É este o papel que queres viver?
Eu fui um tolo por pedir tanto.
Sem a guarda e protecção da infância,
Tudo se despedaça ao primeiro toque.

Observando o carretel à medida que se aproxima,
Brutalmente tomando seu tempo,
Pessoas que mudam sem razão alguma,
Está acontecendo o tempo todo.
Posso seguir adiante com essa série de eventos?
Perturbando e purgando minha mente,
Recuo das minhas responsabilidades, quando tudo tiver sido dito e feito
Eu sei que perderei todas as vezes..

Avançando nos caminhos dados por nosso Deus,
A segurança é presidida pelo fogo,
Santuário destes sorrisos febris,
Deixados com uma marca na porta.
Este é o presente que eu quis dar?
Perdoa e esquece o que eles ensinam,
Ou passa pelos desertos e devastações uma vez mais,
E observa como eles caem pela praia.

Está é a crise que eu sabia que viria,
Destruindo o equilíbrio que eu mantinha.
Virando-se para o próximo conjunto de vidas,
Imaginando o que virá depois.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008


Um dia...
Num acto de angustia e rebeldia
Gostava de ser mais do que o que queria,
Gostava de fazer magia no meu pensar...
Um dia..
renasceria,
Do verso inacabado de poesia,
Num sopro de maresia
Sem medo do que virá,
Gostava de ser forte, de ser sã,
Gostava que o amanhã nunca acabasse...
Um dia...
Como passaro a voar, sem cessar...
Um dia...
Nesse dia que resta em mim talvez
Tocarte-ei da minha altivez,
e tua vez em mim vai acabar...
Nesse dia...
Nada mais eu serei no verso escrito,
Partirei na restia do infinito,
Estou a tentar.. por favor acredita,
Estou a fazer o melhor que posso...
Eu sou o erro das coisas,
Sou o erro da pessoa que sou..
Talvez um dia

acordei

Acordei...ainda meio desorientado,

Tudo estava perdido,

Nada fazia sentido,

E eu não sabia como tinha começado.

As lembranças do dia anterior,

São uma miragem no meu pensamento,

E o coração a explodir de dor,

Magoa a minha alma, neste momento.

Agora a cabeça não para de doer,

E as lembranças destroem-me lentamente,

Este sentimento abusivo de te ter,

Torna o meu corpo ainda menos paciente.

Mágoa de mim mesmo, alma enternecida,

Jaz já reprimida nesta minha dor,

E a pouco e pouco vejo que a vida,

Já não faz sentido sem o teu amor.

# Não sei como pode acontecer,#

Nada faz sentido na minha memória,

E este medo crescente de perder,

Muda o meu rumo

Estremece nossa história.

quarta-feira, 27 de junho de 2007

porque não

Hoje em dia toda a gente tem um blog, ora então porque não criar um diário com algumas "coisas" que penso, sinto e imagino.... a começar hoje dia 27 junho de 2007 . até breve